Projeto realizado em parceria com o Open Observatory of Network Interference e a ONG Women On Waves em 2019 com o objetivo de investigar o bloqueio de dois sites da Women On Waves, ONG que fornece informações sobre direitos e serviços de saúde para mulheres em países com leis restritivas ao aborto, com dados coletados pelo OONI Probe ao redor do mundo.

Acesse aqui a análise completa:

A análise demonstrou que enquanto o website www.womeononwaves.org surgia BLOQUEADO no Brasil e no Irã, o www.womenonweb.org estava BLOQUEADO na Arábia Saudita e na Coréia do Sul, e também que os dois sites apresentaram sinais de BLOQUEIO na Turquia. Como o aborto permanece parcial ou totalmente criminalizado em vários países, a luta para promover os direitos sexuais e reprodutivos, bem como a saúde das mulheres, também depende do acesso à informação.

No Brasil, não é ilegal fornecer informações sobre direitos reprodutivos. Conforme os direitos de liberdade de expressão garantidos pelo Marco Civil da Internet. O projeto segue em andamento pois foram solicitadas mais informações dos ISPs brasileiros para entender os motivos que podem ter levado a esses bloqueios.

Com base nos dados deste relatório, o site The Intercept Brasil realizou uma reportagem onde investiga os apontamentos de bloqueio em território brasileiro. Acesse a matéria aqui.