Como o discurso de ódio afeta as mulheres lésbicas? E como o Estado e as plataformas de redes sociais respondem a este tipo de violência? A pesquisa “Más que palabras: buscando consensos para caracterizar el discurso de odio”, uma iniciativa Asociación por los Derechos Civiles (ADC), organização argentina, que contou com a colaboração da Coding Rights e também do Instituto Panameño de Derecho y Nuevas Tecnologías (IPANDETEC) e Sulá Batsu foi produzida com o objetivo de trazer respostas a estas questões.

A pesquisa foi divulgada no início de junho de 2020, mês que também celebra o Orgulho LGBTQI.

Por ora, o texto está disponível apenas em Espanhol, mas em breve teremos também a versão em Português.

_ Clique aqui para baixar e ler a pesquisa (Versión en Español).