Tem pesquisa nova no ar! Em parceria com a Privacy International e com foco no direito de acesso ao aborto legal e seguro, lançamos uma análise de como as tecnologias digitais podem ajudar ou ameaçar o exercício dos direitos reprodutivos no Brasil. O estudo faz parte de uma série por país sobre o tema, incluindo Índia, Chile, Peru, entre outros. Por enquanto, só está no ar a versão em Inglês, mas em breve apresentaremos também a versão em Português. A pesquisa sobre a realidade brasileira foi escrita por Joana Varon e Laura Alonso.

_ Acesse e leia aqui a publicação.

_ Acesse e leia a publicação dos outros países.

A pesquisa mostra como funciona no Brasil uma rede de articulação online contra a legalização do aborto e dos direitos reprodutivos baseada em desinformação para ganhar adesão e persuadir mulheres a não procurar apoio para procedimentos de aborto – mesmo os já legalizados no país.

O tema merece atenção especialmente num momento em que corre a investigação de uma suposta rede de disseminação de #fakenews no País ao mesmo tempo em que o governo federal brasileiro promove uma campanha que incentiva a abstinência sexual como solução contraceptiva.