Ainda que você não se importe em ser perseguido pela última marca de tênis ou pelo último destino de voo que pesquisou recentemente, o escândalo do Facebook-Cambridge Analytica trouxe à tona uma prática comum e perturbante realizada pela maior rede social do mundo: a vasta quantidade de dados pessoais coletados sobre nós é cada vez mais usada para moldar nosso comportamento, nossos desejos e nossas necessidades.

Para muitos — especialmente mulheres e não binários — essa abordagem pode ser ainda mais agressiva, reforçando os papéis sociais de gênero, a heteronormatividade e, portanto, a discriminação contra a diversidade.

O Facebook usa nossos dados de navegação para inferir nossa classe, identidade de gênero, sexualidade e muitos outros aspectos de nossas vidas. Ele determina se estamos a fim de sair com alguém ou prestes a engravidar (e provavelmente pode até adivinhar de quem), se estamos tristes ou a fim de ir a uma festa (ou ambos). Além disso, os cada vez mais variados aplicativos que rastreiam nossos corpos e hábitos sexuais — como os aplicativos de encontros e os rastreadores de ciclo menstrual — não apenas lucram com nossas informações mais íntimas, como também, muito provavelmente, ainda que não sejam desenvolvidos pelo Facebook, têm seus serviços e bancos de dados pelo menos conectados ao Facebook por meio de parcerias para uma conexão “fácil”.

Todas essas informações são valiosas para os anunciantes. Como mostramos em nossa pesquisa sobre “Anúncios Direcionados por Gênero”, elas permitem que os anunciantes exibam para você anúncios de berços, babás eletrônicas e programas de perda de peso. Ou, se você tiver uma certa idade, elas permitem que eles invadam sua linha do tempo com anúncios de programas de fertilidade ou sugestões para congelar seus óvulos. Algumas pessoas acham bastante preocupante ver que o Facebook está permitindo que anunciantes tenham dados confidenciais sobre você, para sugerir como você deve ser ou com o que deve se preocupar.

O Facebook diz que as pessoas podem controlar a forma como os anunciantes direcionam conteúdos a elas usando a página Suas Preferências de anúncios do Facebook — mas qual é a eficácia disso? Não temos certeza se os novos planos de transparência em anúncios e os controles de privacidade que o Facebook introduziu realmente protegerão nossas informações de uma forma melhor.

É por isso que criamos o fuzzify.me — uma extensão de navegador para o Firefox e o Chrome que ajuda as pessoas a impedir futuros anúncios direcionados e a obter transparência na plataforma de anúncios do Facebook.

Como funciona?

Primeiro, você precisa adicioná-lo ao seu navegador:

Para instalar no Firefox, clique aqui

Para instalar no Chrome, clique aqui.

Se você usa algum adblock, por favor desative-o; nossa meta não é bloquear, mas, sim, ver como eles estão direcionando os anúncios a nós. A extensão também não funciona em janelas privadas.

Uma vez que essas etapas estejam concluídas, o Fuzzify.me começará a montar uma lista dinâmica dos anúncios do Facebook aos quais você foi exposto. Agora você pode ver a imagem mais ampla: como o Facebook vende você aos anunciantes e como o Facebook ele categoriza você. Essa pessoa é você? Você quer ser visto como essa pessoa?

Além de lhe dar transparência, a ferramenta também o ajuda a minimizar a quantidade de dados sobre você. Embora o Facebook esteja sempre atribuindo categorias de anúncios a você e lhe oferecendo a possibilidade de editá-las, a maioria das pessoas nem sabe disso ou não tem tempo para limpar todas as preferências de anúncios, um por um, todos os dias. O fuzzify.me facilita isso. Quando você clica no botão “Limpar anúncios” no painel da extensão, você remove automaticamente todas essas categorias que ficam visíveis para os anunciantes, além de ficar por dentro da forma como você está sendo classificado.

Com o passar do tempo, você consegue ver se há mudanças nos tipos de anúncio que você vê, conforme a frequência com que executa a função de limpeza da extensão. Você pode ir percebendo não apenas como os anunciantes estão classificando você, mas também se os controles de privacidade implementados pelo Facebook são eficazes para impedir o direcionamento de anúncios.

Que tal assistir a um vídeo que mostra o fuzzify.me em ação limpando suas categorias de anúncios? Assista aqui.

Sobre os autores

Hang Do Thi Duc é desenvolvedora, engenheira e Fellow Mozilla. Ela é a criadora do Data Selfie, uma extensão de código aberto para navegador que fornece uma perspectiva pessoal sobre mineração de dados, análises preditivas e sua identidade on-line. @hangdothiduc

Becca Ricks é tecnóloga, pesquisadora e Fellow Mozilla baseada na Human Rights Watch. Em seu trabalho, ela pesquisa como as plataformas sociais coletam, monetizam e divulgam dados sobre as pessoas on-line e a biopolítica dos algoritmos sociais. @baricks

Joana Varon é uma pesquisadora brasileira, fundadora e diretora executiva da Coding Rights, e é Fellow Mozilla. Ela é a criadora do Chupadados, um projeto de arte e jornalismo que explora a privacidade on-line das mulheres na América Latina. @joana_varon

1 Comment

Comments are closed.