Dados são a solução para todos os nossos problemas? A gente debateu junto com Sil Bahia (PretaLab), Catherine D’Ignazio (MIT/Data Feminism) e Nicholas Diakopoulos (Northwestern University) sobre o tema na última edição da Conferência Brasileira de Jornalismo de Dados e Métodos Digitais, mais conhecida como CodaBR 2020.

No painel “Algoritmos e Desigualdades”, Joana Varon, nossa diretora executiva, apresentou alguns dos projetos da Coding Rights que estudaram, nos últimos anos, como dados também são usados para vigilância de nossas vidas e corpos. Um deles é o Chupadados, que reúne histórias sobre como equipamentos e serviços tecnológicos têm sido usados na América Latina para produção massiva de dados. Esses dados são gerados por atividades cotidianas como navegar na internet, usar cartões de transporte, aplicativos de monitoramento do ciclo menstrual e fazer transações bancárias.

Chupadados: uso indevido de dados pessoais pode expor, segregar e ameaçar pessoas.

Joana também citou os usos perigosos de IA pelo governo, como no caso de Salta (Argentina), onde se tentou utilizar ferramentas de Inteligência Artificial para prever casos de gravidez na adolescência, reproduzindo e reafirmando estereótipos de gênero e classe.

Para saber mais deste caso de Salta, leia o artigo “Decolonising AI: A transfeminist approach to data and social justice” escrito por Joana Varon e Paz Peña.