O celular vibra. Pode ser spam da operadora, corrente de WhatsApp, mas é um pedido: MANDA NUDES! Arriscariamos dizer que a maioria de nós deseja ardentemente enviar e receber nudes todos os dias, o dia inteiro. E também acreditamos que a privacidade da sua comunicação é um direito, e que quem deve escolher se seus nudes devem ser guardados ou compartilhados é você.

Mandar nudes é um direito — o de decidir sobre o próprio corpo e imagem, e uma prática de resistência prazerosa — um jeito de agir e se posicionar contra o machismo e a heteronormatividade. Pensando nisso, criamos o projeto Safernudes, onde reunimos algumas sugestões sobre como enviar seus nudes de maneira um pouco mais segura.

Você pode baixar nosso Guia Sensual de Segurança Digital em português, inglês e espanhol e um texto da Fannie Sosa sobre como selfies, nudes e outras formas de auto-representação pode ser gestos políticos.

Para acessar o material, clique aqui.

***
Digital security can also be fun. By apropriation of the meme “send nudes!”, this small project has the goal to spread the word about digital security for the average user, who relies on digital media for their communication, but are not necessarily tuned with the specifics of digital security debate. Also discussing post-porn aesthetics and strategies for combating gender inequalities in the web, it was thought to be more appealing to women and sexual minorities, since they are more easily exposed to online haressment, by practices such as revenge “porn”, doxxing, cyberbulling, etc.

To download the zine in English, Portuguese or Spanish: https://www.codingrights.org/safernudes/

Team: Natasha Felizi and Joana Varon
Design: Galatea La Llorona
Illustrations: Ana Pands
Colaborators: Fannie Sosa, Yaso Córdoba, Fernanda Shirakawa
Funder: WebWeWant Rapid Response Grant